Entries by Abramilho

Paraná tem 26% da área de milho sem atingir boas condições de qualidade; plantio da segunda safra avança para 9% do total

A Secretaria de Agricultura e do Abastecimento do Paraná divulgou, por meio do Departamento de Economia Rural (Deral), seu o relatório de plantio, colheita e comercialização das principais safras do estado. O levantamento apontou que a cultura do milho 1ª safra no estado apresenta 74% avaliado como condição boa e 24% como média e 2% […]

Milho: Bolsa de Chicago encerra terça-feira com quedas nos preços

A terça-feira (15) chegou ao final com os preços internacionais do milho apresentando quedas na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais cotações terminaram o dia com desvalorizações entre 6,4 e 7,2 pontos. O vencimento março/19 foi cotado à US$ 3,71 e o maio/19 valeu US$ 3,79. Segundo a Agência Reuters, os valores do milho seguiram […]

Cooperativas gaúchas apostam em alta produtividade na cultura do milho

Entretanto, na avaliação da FecoAgro/RS, preços deverão ter patamares menores para o produtor A colheita do milho iniciou no Rio Grande do Sul. Em áreas mais quentes, onde o plantio ocorreu já a partir de agosto, as primeiras lavouras já começaram a ser colhidas. Na avaliação da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio […]

Para evitar risco de desabastecimento, China deve triplicar compras de milho

A redução nos estoques de milho na China deverá aumentar a necessidade de importações do país nos próximos três anos. Segundo análise do banco holandês Rabobank, o consumo no gigante asiático deve chegar próximo de 300 milhões de toneladas do cereal na temporada 2021/22. Para fazer frente a essa demanda, os chineses terão de triplicar suas importações, conforme o banco. Nesse cenário, grandes produtores do cereal, como é o caso do Brasil, poderão se beneficiar da demanda extra vinda de Pequim. “A demanda maior que a oferta no país duraria por múltiplos anos, a menos que o governo mude suas políticas de importações”, indicou o Rabobank, em estudo assinado por Lief Chiang. Segundo as últimas estimativas do USDA, de dezembro, os estoques de milho na China ao final da atual safra (2018/19) totalizarão 207.5 milhões, redução de 6,7% em relação as 222.5 milhões de toneladas da temporada anterior. Segundo o Rabobank, esse volume cairá rapidamente a níveis críticos. Mesmo com um provável aumento de área destinada ao milho no país, apontou o estudo, será necessário ampliar as importações. Até o ciclo 2021/22, a produção na China deverá crescer cerca de 10% por safra e chegar aos mesmos níveis de 2015, quando a colheita alcançou o pico de 265 milhões de toneladas. “Ainda assim, a China necessitará importar 40 milhões de toneladas de grãos para ração, sendo 15 milhões de milho e 25 [milhões] de grãos alternativos”, estima o banco holandês. Para a atual temporada, o USDA estima que 5 milhões de toneladas de milho serão importadas pela China. Esse volume é 44% superior às importações da última safra (2017/18), estimadas em 3.4 milhões de toneladas. Além disso, as reservas estatais do país caíram bastante, de 236 milhões de toneladas em 2015/16 para 89 milhões de toneladas em 2017/18. “Isso é consequência de uma política de vendas e nenhuma aquisição”, ressaltou o Rabobank. Em 2016, a China mudou a política de estocagem de milho. Naquele momento, o gigante asiático tinha estoques suficientes para mais de um ano de consumo. Pequim aplicava a política de comprar milho a preços até 50% superiores aos praticados no mercado. Agora, apontou o Rabobank, o país asiático terá de voltar a buscar milho em outros mercados. Segundo o Rabobank, nos próximos dois anos Pequim deverá repensar as políticas de aquisição de milho. “Sem aumentar a oferta de forma rápida e eficaz, a China correrá o risco de ter um esgotamento do estoque de milho”, apontou o banco holandês. Essa avaliação já considera a desaceleração do ritmo de crescimento da demanda. Segundo dados analisados pelo Rabobank, a taxa de crescimento anual composta (CAGR) da indústria de milho na China deve desacelerar para 5% até 2021/22. Nos últimos cinco anos, essa taxa foi de 8,5%. A taxa de crescimento de uso de milho para ração também deve desacelerar, para 3%. Nos últimos cinco anos, esse indicador foi de 6% ao ano. Mesmo com o ritmo mais fraco, o consumo doméstico na China pode chegar a 291 milhões de toneladas, enquanto a produção alcançaria 268 milhões de toneladas, projetou o banco. “Qualquer quebra de safra em decorrência de problemas climáticos causaria sérios problemas aos participantes do mercado”, advertiu o analista do Rabobank. VALOR – 14/01/2019

Milho: Brasil deve produzir 93,366 milhões de t em 2018/19, diz Safras & Mercado

A produção brasileira de milho deverá totalizar 93,366 milhões de toneladas na temporada 2018/19, com elevação de 16,61% sobre a safra anterior, de 80,065 milhões de toneladas. A projeção faz parte de levantamento divulgado hoje por SAFRAS & Mercado. Houve uma quebra de 1,61% frente às 94,897 milhões de toneladas projetadas na estimativa anterior, divulgada […]

IBGE prevê safra de grãos 3,1% maior em 2019

O crescimento deve-se, principalmente, às maiores estimativas de produções do milho, caroço de algodão e soja O terceiro prognóstico para a safra 2019, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas foi estimada em 233,4 milhões de toneladas, 3,1% acima da safra de 2018, o que representa 7,0 milhões de toneladas a mais. O crescimento deve-se, […]

Paraná valoriza quem preserva áreas naturais voluntariamente

Iniciativa é inédita no Sul do Brasil e busca beneficiar proprietários de RPPNs que possuem plano de manejo Proprietários de áreas protegidas no estado do Paraná ganharam um incentivo a mais por conservarem suas terras. O executivo estadual, por meio do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos […]

China aprova novos traços de soja, milho e canola

Alguns que foram aprovados, incluindo duas variedades de canola, aguardavam há seis anos A China aprovou cinco variedades geneticamente modificadas para importação na última terça-feira, a primeira em cerca de 18 meses, quando representantes do país asiático e dos Estados Unidos se reuniram em conversas cara a cara para tentar resolver divergências comerciais. Cinco outros […]

Cadastro para Pessoa Física é obrigatório a partir de 15 de janeiro

Produtores rurais que exercem atividade econômica como pessoa física devem realizar o Cadastro de Atividade Econômica da Pessoa Física (CAEPF). A exigência da Receita Federal passa a ser obrigatória a partir do dia 15 de janeiro. A inscrição no CAEPF será realizada no Portal e-Cac, que fica no site da Receita Federal (https://cav.receita.fazenda.gov.br/autenticacao/login). O produtor […]