Tempo seco favorece avanço da colheita da 2ª safra de milho

Mato Grosso e Paraná lideravam a colheita, com 27% cada um

A colheita de milho segunda safra do centro-sul do Brasil havia avançado para 19% da área cultivada com o cereal até a última quinta-feira, aumento de nove pontos percentuais em uma semana, com impulso do tempo quente e seco que permitiu os trabalhos na região, informou nesta segunda-feira a consultoria AgRural.

As atividades estão adiantadas ante a mesma época do ano passado, quando apenas 5% da área estava colhida e na comparação com a média de cinco anos, de 7%.

“A continuidade do tempo quente e seco em todo o centro-sul do Brasil rendeu mais uma semana de bom avanço na colheita da segunda safra de milho”, afirmou a AgRural, em relatório.

A maior parte do Centro-Oeste brasileiro deverá continuar sem chuvas expressivas até o início de julho, pelo menos, de acordo com dados do terminal Eikon, da Refinitiv. Apenas a partir da próxima semana o Sul do Brasil vai receber mais precipitações.

Mato Grosso e Paraná lideravam a colheita, com 27% cada um, notou a AgRural.

A consultoria observou que problemas de qualidade causados pelo excesso de chuva em abril e maio em algumas áreas de Mato Grosso ainda são registrados, mas os índices de grãos avariados vêm caindo à medida que a colheita avança, favorecendo a formação de lotes para vendas.

No início de junho, a AgRural estimou a produção brasileira da segunda safra em 75,7 milhões de toneladas, um recorde. O número será revisado na primeira quinzena de julho, acrescentou a consultoria.

REUTERS

Notícias Agrícolas – 24/06/2019