Safra de verão 2018/19 é a segunda maior do RS

Analisando individualmente cada cultura, o grande destaque para essa safra é o cultivo do milho grão.

Como tradição durante a Expodireto Cotrijal, a Emater/RS-Ascar anunciou na manhã desta terça-feira (12/03) o levantamento das lavouras da safra de verão 2018/2019, no Café da Manhã para a Imprensa, organizado na Casa da Família Rural. O presidente da Emater/RS, Iberê de Mesquita Orsi, apresentou os dados coletados em todo o Estado, considerando a situação das lavouras até fevereiro/2019. Segundo os números preliminares, houve aumento na expectativa de produção na grande maioria das culturas, com destaque para a cultura do milho, que tem previsão de aumento de 22,32% na produção. A safra de verão 2018/2019 deverá alcançar uma produção próxima de 32 milhões de toneladas, o que poderá causar um impacto econômico no valor bruto superior a R$ 31 bilhões. Com a confirmação desses números, esta será a segunda maior safra de verão no Estado do RS.

Analisando individualmente cada cultura, o grande destaque para essa safra é o cultivo do milho grão. Com um aumento de 7,43% na área plantada, a expectativa de produção é de 5,52 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 22,32% em comparação à safra passada. É o maior crescimento estimado para as culturas de verão este ano. Em produtividade, o crescimento previsto é de 13,87%, que se refere a uma média de 7,3 mil kg/ha.

Para o presidente da Emater/RS, Iberê de Mesquita Orsi, esse crescimento é expressivo e muito importante para o Estado. “É um aumento significativo, pois o milho tem uma grande importância para o Estado especialmente nas cadeias de suinocultura, avicultura e gado leiteiro. É uma das culturas que teve mais rentabilidade nos últimos anos, em função das tecnologias utilizadas. Se fizermos uma retrospectiva para o início da década de 90, a 30 anos atrás, tínhamos uma média de produtividade no RS de 18 sacas por hectare. Em 30 anos nós passamos para uma média acima de cem sacas por hectare e isso se deve a tecnologia”, argumentou Orsi. Ijuí, Passo Fundo e Erechim são as regiões que se destacam na produção de milho grão.

O cultivo do milho silagem, que não é contabilizado junto com o milho grão, apresentou uma redução na área plantada de 3,56% (área atual de 354 mil hectares), em comparação à safra passada. Mesmo com essa redução, a expectativa de produção e a produtividade tiveram crescimento em relação ao ano passado. É estimada a produção de 13,7 milhões de toneladas (aumento de 2,54%) e uma produtividade de 38,7 toneladas por hectare (crescimento de 6,32%).

O cultivo do arroz sofreu uma pequena redução na área plantada de 4,15%, em comparação a safra do ano passado (2017/18). Com pouco mais de um milhão de hectares plantado no Estado, a produção atual está estimada em 7,78 milhões de toneladas (redução de 7,24%), com uma produtividade de média de 7,6 mil kg/ha, o que representa uma redução de 3,22%, considerando a safra passada.

Na cultura do feijão 1ª safra, o levantamento aponta uma redução mínima na área plantada, de apenas 0,49%. Diante da área de cultivo de 39,5 mil hectares, a expectativa de produção e produtividade ultrapassam os números da última safra. A produção é estimada em 69,9 mil toneladas de feijão, o que representa um aumento de 8,64%, e uma produtividade de 1,7 mil kg/ha (aumento de 9,21%).

No feijão 2ª safra o cenário se repete. Com uma redução de apenas 0,12% na área de plantio, a expectativa de produção superou a do ano passado, alcançando 32,19 mil toneladas, um aumento de 5,32%, e uma produtividade crescente de 5,43%, em torno de 1,6 mil kg/ha.

Como nas demais safras, a cultura da soja também apresentou crescimento este ano. Com uma área atual de 5,8 milhões de hectares, um aumento de 0,79%, a produção esperada para a soja é de 18,5 milhões de toneladas (crescimento de 5,7%) e a produtividade de 3,19 mil kg/ha (aumento de 4,89%).

A partir dessas estimativas, a safra de verão 2018/2019 deverá alcançar uma produção total próxima de 31,9 milhões de toneladas, o que causará um impacto econômico no valor bruto superior a R$ 31 bilhões, garantindo para este ano a segunda posição no ranking das maiores safras de verão do Estado do RS. “A partir dessas informações, temos a certeza que o agronegócio é a grande saída para os nossos produtores e para o nosso Estado”, finalizou o presidente da Emater/RS.

EMATER – RS

Agrolink – 12/03/2019