ABRAMILHO REIVINDICA TAXAS DE JUROS MAIS COMPATÍVEIS PARA A SAFRA 2020/2021

A Abramilho – Associação Brasileira dos Produtores de Milho, junta-se às demais entidades do setor agrícola no sentido de propor redução nas taxas de juros do crédito rural para o Plano Safra 2020/2021. O Governo do Presidente Bolsonaro, derrubou um mito que há décadas prevaleceu no mercado financeiro do Brasil: “altas taxas de juros para conter a demanda agregada a inflação”. Temos hoje a menor taxa de juros básica da história – Selic- da ordem de 3,25% aa e uma inflação virtualmente zero. Com isso, os recursos para o crédito rural podem ser captados na faixa entre zero (depósitos a vista) e 3,25% (Tesouro Direto), e aplicações com spread de 0,5% para cobrir custos operacionais, sem necessidade de aportar subsídios orçamentários, que poderão ser redirecionados para outras despesas do Ministério da Agricultura, com ênfase para o seguro rural. Nas palavras do Ministro Guedes: “se os bancos públicos tivessem que dar lucro em todas as operações, deveriam ser privatizados”.

Alysson Paolinelli (Presidente Executivo da Abramilho)