Milho: piora no poder de compra do pecuarista em agosto

Para o curto e médio prazos, a expectativa é de que os embarques continuem em ritmo forte em agosto

Os preços do milho subiram no mercado interno em agosto acompanhando a valorização do dólar e a expectativa de uma boa movimentação para exportação, que na realidade já vem acontecendo desde meados de maio. Em julho, últimos dados disponíveis, a média diária exportada aumentou 281,2% em relação à média de junho deste ano e cresceu 416,4% na comparação com a média de julho do ano passado.

Segundo levantamento da Scot Consultoria, na região de Campinas-SP, a saca de 60 quilos está sendo negociada por R$38,00, sem o frete.

Houve alta de 1,3% na comparação mensal, mas ainda assim o cereal está custando 5,0% menos frente a agosto de 2018.

Com a alta no preço do insumo e o preço da arroba do boi gordo em patamar ligeiramente mais baixo que a média de julho último, a relação de troca piorou para o pecuarista em agosto.

Na praça de São Paulo, atualmente é possível comprar 4,08 sacas de milho com o valor de uma arroba de boi gordo.

O poder de compra em relação ao alimento concentrado diminuiu 1,5% na comparação mensal, mas melhorou 12,5% em relação a agosto de 2018. Isto significa quase meia arroba a menos para a compra da mesma quantidade de milho.

Para o curto e médio prazos, a expectativa é de que os embarques continuem em ritmo forte em agosto, o que deverá manter firmes os preços do milho no mercado interno.

SCOT CONSULTORIA

Agrolink – 13/08/2019