Milho começa a sexta-feira subindo na B3 e em Chicago

Chicago ganha após compras chinesas

A sexta-feira (31) começa com os preços futuros do milho subindo na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam movimentações positivas entre 0,78% e 1,15% por volta das 09h21 (horário de Brasília).

O vencimento setembro/20 era cotado à R$ 50,22 com valorização de 1,15%, o novembro/20 valia R$ 51,50 com ganho de 1,08%, o janeiro/21 era negociado por R$ 52,00 com alta de 0,78% e o março/21 tinha valor de R$ 51,85 com elevação de 0,78%.

As flutuações cambiais influenciavam os contratos do cereal no início deste dia. Por volta das 09h27 (horário de Brasília), o dólar subia 0,40% e era cotado à R$ 5,17.

Mercado Externo

A Bolsa de Chicago (CBOT) também abriu a sexta-feira levemente mais alta para os preços internacionais do milho futuro. As principais cotações registravam movimentações positivas entre 0,50 e 1,00 ponto por volta das 09h14 (horário de Brasília).

O vencimento setembro/20 era cotado à US$ 3,16 com elevação de 0,50 pontos, o dezembro/20 valia US$ 3,27 com alta de 0,75 pontos, o março/21 era negociado por US$ 3,39 com ganho de 0,75 pontos e o maio/21 tinha valor de R$ 3,46 com valorização de 1,00 ponto.

Segundo informações do site internacional Successful Farming, os contratos futuros de milho foram maiores nas negociações da noite para o dia, com sinais de demanda por suprimentos nos Estados Unidos.

O relatório de vendas de exportação do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) mostrou vendas sólidas de novas culturas, para entrega na campanha que começa em 1º de setembro, quando a China comprou os suprimentos.

Os exportadores venderam mais de 2 milhões de toneladas de milho a compradores estrangeiros, com a China levando 1,94 milhão de toneladas, informou o governo em um relatório ontem. Essas vendas serão exibidas no relatório da próxima semana.

Apesar disso, os ganhos de preços estão sendo limitados pelo clima favorável em grande parte do Meio-Oeste, onde a chuva está caindo e as condições das culturas estão melhorando. Cerca de 72% das lavouras de milho dos EUA foram classificadas como boas ou excelentes no início desta semana, de acordo com o USDA.

Notícias Agrícolas – 31/07/2020