bg-home

Fundos determinam preços das commodities agrícolas

A semana do mercado de commodities agrícolas foi marcada mais pelas participações dos fundos de investimentos no setor do que pelos fundamentos (produção, safra e demanda).Os volumes de safras nos Estados Unidos estão praticamente definidos e não devem mudar muito. Com relação ao milho, a situação está mais bem definida, o que justifica o fato de os fundos estarem com 20,6 milhões de toneladas do cereal vendidos.Ao contrário do que ocorre com a soja, a participação dos chineses no milho é insignificante, em relação ao volume mundial produzido.Segundo avaliações da AgRural, o perigo é a soja ter uma redução para valores inferiores a US$ 9 por bushel (27,2 quilos), o que aumentaria o apetite chinês pelo produto norte-americano, cuja safra antecede as brasileira e argentina.A soja fechou nesta sexta-feira (2) a US$ 9,53 por bushel no contrato de novembro em Chicago, com queda em relação aos US$ 9,67 de há uma semana.O milho teve pequena elevação, atingindo US$ 3,29 por bushel (25,4 quilos), ante US$ 3,25 em 26 de agosto.