Como estão os preços do milho?

Em Santa Catarina, eles chegam a R$ 65,00/saca

No Rio Grande do Sul, os preços do milho continuam muito firmes, segundo informou a T&F Consultoria Agroeconômica. “Os preços chegaram a R$ 65,00 em Ibirubá e R$ 64,00 em Vacaria, na metade de setembro, duas semanas antes de nossa previsão, o que indica a firmeza do mercado e possibilidade de novas altas a curto prazo”, informa.

Em Santa Catarina, eles chegam a R$ 65,00/saca. “Sem muito milho disponível no estado, as fábricas de ração e indústrias de carne se abastecem cada vez mais com milho vindo do Mato Grosso do Sul. Os preços do milho local permaneceram a R$ 63,00 no Alto Vale do Itajaí, R$ 63,00 em Campos Novos e permaneceram a R$ 58,00 em Canoinhas e Chapecó. Em Concórdia e Joaçaba os preços subiram um real para R$ 65,00. Em Mafra mantiveram R$ 61,00/saca”, comenta.

No Paraná, os preços seguem inalterados na briga entre vendedores capitalizados e compradores abastecidos. “A maioria dos grandes compradores está abastecida até novembro/dezembro, alguns fazendo compras para emendar as safras em fevereiro, mas os pequenos granjeiros continuam comprando da mão-para-a-boca e mantém o mercado firme. No mercado de balcão os produtores paranaenses o preço subiu 2 reais/saca na ponta de cima na última sexta-feira, ficando entre R$ 43,50 e R$ 59,00 (contra R$57,00/saca do dia anterior)”, completa.

“Já os milhos importados do Paraguai chegariam ao Oeste do Paraná ao redor de R$ 58,73 (58,57); ao Oeste de Santa Catarina ao redor de R$ 67,96 (67,77) e ao Extremo Oeste de SC ao redor de R$ 69,54/saca (69,36). A cotação do milho argentino subiu para R$ 74,88 (74,38) e a do milho norte-americano subiu para R$ 80,52 (78,76) no oeste de SC”, conclui.

AGROLINK – 16/09/2020