CNA avalia impacto do coronavírus nas exportações brasileiras

Temos que continuar produzindo para aproveitarmos oportunidades de exportação

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) promoveu uma conversa ao vivo por meio do Instagram, na sexta (27), para avaliar os impactos nas exportações com a crise do coronavírus.

A superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra, e a coordenadora de Inteligência Comercial da CNA, Sueme Andrade, fizeram uma análise do mercado internacional e responderam perguntas principalmente em relação aos maiores parceiros comerciais do Brasil: China, União Europeia e Estados Unidos.

“Não tivemos nenhum relato de interrupção de contratos. O que aconteceu é que foram relatados atrasos nos processos de exportação provocados por contêineres que ficaram retidos em portos e que demoraram para ser descarregados. Isso gerou uma falta geral de contêineres no mundo”, afirmou Lígia Dutra.

Valor exportado – Em relação ao valor exportado pelo agro brasileiro, houve uma pequena queda nos meses de janeiro e fevereiro em comparação com o mesmo período de 2019 (de US$ 13,3 bilhões para 12,2 bilhões), mas ainda não se pode afirmar se existe relação com a pandemia.

“Boa parte desses contratos foram negociados no ano passado. Somente nos meses seguintes nós conseguiremos ver melhor se haverá algum impacto do em termos de balança”, disse Sueme Andrade.

De acordo com a superintendente de Relações Internacionais da CNA informações preliminares apontam crescimento nas exportações de carnes bovina, suína e de frango para a China, nos próximos meses.

“Temos que continuar produzindo para aproveitarmos oportunidades de exportação. Precisamos estar atentos diariamente às mudanças nos mercados, observando o ambiente regulatório e de negócios, mas mantendo o otimismo porque existe um espaço para colocarmos os nossos produtos lá fora”, afirmou Lígia Dutra.

CNA – CONFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO BRASIL

Arolink – 27/03/2020