China reduz previsão de consumo de milho em 2 milhões de toneladas

A queda no rebanho de suínos devido a PSA está reduzindo a demanda por alimentos

O Ministério da Agricultura da China disse na quinta-feira passada que está reduzindo sua previsão para o consumo de milho na safra 2019/20, em meio aos surtos de peste suína africana (PSA) em todo o país.

O ministério disse que o consumo de milho agora está dois milhões de toneladas abaixo da previsão do mês passado, de 280 milhões de toneladas, devido a grande queda no rebanho de suínos que está reduzindo a demanda por alimentos.

A China disse que seu rebanho de matrizes diminuiu em um recorde de 23,9% em maio em relação ao ano anterior, mas alguns órgãos estimam que o número seja o dobro.

Embora a demanda seja menor, o país também plantou menos milho, disse o ministério em seu relatório mensal de safra.

Pequim está encorajando menos plantio de milho em algumas áreas no extremo norte e maior produção de soja em seu lugar. Essa tendência reduziu o tamanho estimado da safra de milho em 920.000 toneladas, para 253 milhões de toneladas.

O ministério também disse que a província de Yunnan, no sudoeste do país, continua a sofrer com a seca, e que tanto a plantação de cana-de-açúcar ali quanto a de beterraba na Mongólia Interior estavam sofrendo de pragas.

O Ministérios não alterou sua previsão de produção de açúcar, mas disse que continuará monitorando o impacto de climas e pragas adversas.

AVICULTURA INDUSTRIAL

Agrolink – 14/08/2019