Argentina deve colher 47,6 milhões de toneladas de milho

Análise é do USDA

O agregado do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) na Argentina estimou a colheita de milho 2020/21 em 47,6 milhões de toneladas e a colheita de trigo em 20 milhões de toneladas. As estimativas para ambas as culturas são inferiores às publicadas pelo USDA em seu relatório de julho sobre a oferta e demanda mundial de grãos, completou o portal argentino Agrofy.

“As dificuldades econômicas no setor agrícola estão fortalecendo um ambiente avesso a riscos para as decisões de plantio” para o milho, disse o relatório do USDA, segundo nota da Reuters, que explicou que antecipa uma área de 5,9 milhões de hectares para o milho, dos 6,2 milhões indicados no relatório mensal.

Com relação ao trigo 2020/2021, o agregado do USDA informou que calcula um valor de produção menor do que o relatado no último relatório de oferta e demanda mundial de grãos devido ao clima adverso que afeta partes do país. Segundo o relatório do USDA, “o clima seco em algumas áreas reduzirá as expectativas da área total plantada, impactando particularmente na província de Córdoba e províncias do norte” na Argentina.

No entanto, a confiança do produtor em janeiro de 2020 caiu 51% em relação a janeiro de 2019. Os dados são da pesquisa realizada pelos produtores no Centro de Agronegócio e Alimentação da Universidade Austral, conhecido como AG Barometer. Do Centro de Agronegócio e Alimentação da Universidade Austral, eles alertam que essa desconfiança em relação ao futuro está afetando os níveis de investimento em máquinas e ativos fixos e pode levar à descapitalização do setor no médio prazo

AGROLINK – 31/07/2020