“As questões econômicas da GM estão relacionadas à escala e acesso ao mercado”

O governo está sendo instado a considerar as implicações mais amplas antes de apoiar a introdução de transgênicos na agricultura do Reino Unido. De acordo com Roger Kerr, executivo-chefe da OF&G (Organic Farmers & Growers), que certifica mais de 50% das terras orgânicas do Reino Unido, apesar das vantagens de produção percebidas, os OGMs poderiam tornar os negócios agrícolas do Reino Unido menos lucrativos.

“Uma pesquisa recente no Twitter sugeriu que 77% dos agricultores gostariam de usar a tecnologia OGM, se estivesse disponível. E uma grande proporção de agricultores vê muitos benefícios para engenharia genética (GM), incluindo maior resistência a pragas e doenças e resistência à seca diante das mudanças climáticas. Por outro lado, uma pesquisa no Countryfile Live mostrou que muitos consumidores são contra a introdução da GM, o que coloca a agricultura do Reino Unido em desacordo com uma proporção significativa de seus próprios consumidores”, diz Kerr.

Não apenas existe uma grande diferença de opinião, ele diz que há questões econômicas e científicas a serem consideradas. “As questões econômicas da GM estão relacionadas à escala e acesso ao mercado. Se a agricultura do Reino Unido adotar GM, os agricultores descobrirão que precisam alinhar seus custos de produção com os produtores de GM nos EUA e na China”, completa.

“A produção agrícola do Reino Unido é equivalente a apenas um décimo da produção agrícola dos EUA e apenas 2% da produção agrícola chinesa – as diferenças de escala são enormes. E após o Brexit, estaremos competindo nos mercados globais com algumas das maiores operações agrícolas do mundo”, completa.

AGROLINK – 29/08/2019